ESTUDO COMPARATIVO ENTRE HISTERECTOMIA TOTAL ABDOMINAL, VAGINAL E LAPAROSCÓPICA

Pós-graduando: Sérgio Edgar Camões Conti Ribeiro Orientador: Prof. Dr. Ricardo Muniz Ribeiro Data da defesa: 20/03/2001 Foram estudadas 60 mulheres, divididas em 3 grupos de 20, submetidas a histerectomia total abdomina, vaginal e laparoscópica. Analisou-se o tempo de cirurgia, a perda sanguínea (variação dos níveis séricos de eritrócritos, hemoglobina e hematócrito) e a resposta inflamatória (dosagens de cortisol, proteína C-reativa e interleucina 6). Os tempos médios de cirurgia foram através dos testes não-paramétricos de Kruskal-Wallis e de Dunn. Para avaliação da variação dos níveis séricos dos demais parâmetros estudados utilizou-se a Análise de Variância com medidas repetidas. O tempo de cirurgia foi significativamente menor nas mulheres submetidas à histerectomia vaginal e, não houve diferença significativa entre a histerectomia total abdominal e a histerectomia laparoscópica. Em relação à perda sanguínea, as concentrações de eritócritos apresentaram maior redução após as histerectomias vaginais e menor após as laparoscópicas. As concentrações de hemoglobina apresentaram maior redução após as histerectomias vaginais e a variação de hematócrito foi semelhante nos 3 grupos. Em relação à resposta inflamatória, a elevação dos níveis séricos de cortisol e de proteína C-reativa foi significativamente menor no grupo de histerectomias vaginais e com tendência de ser menr nas histerectomias laparoscópicas comparadas às histerectomias totais abdominais. A elevação dos níveis séricos de interleucina 6 foi significativamente maior no grupo de histerectomia total abdominal e não houve diferença entre os grupos de histerectomia vaginal e histerectomia laparoscópica.

0 visualização

E-mail:  eventos.secretaria@uol.com.br

Tel:   (11) 2272-4301  (11) 99529-8202 

SECRETARIA EXECUTIVA

AGÊNCIA DE VIAGENS LEVITATUR

TERMOS

simbolo-da-marca-png.png