top of page

Fisioterapia nas Disfunções do Assoalho Pélvico: quando indicar?



No dia 9 de setembro, a Profa. Dra. Elizabeth Alves Ferreira elucidou, com base na evidência científica e na prática clínica, a atuação da fisioterapia nas disfunções do assoalho pélvico. A palestra foi proferida na reunião clínica do Setor de Ginecologia do HC-FMUSP que ocorre semanalmente com a coordenação dos Profs. Drs. Edmund Chada Baracat e Nilson de Melo. Seu vasto conhecimento lançou luz sobre a complexidade desse campo de atuação e suas implicações clínicas.


Anatomia e Fisiologia do Assoalho Pélvico:

Dra. Elizabeth inaugurou a palestra delineando a complexa estrutura anatômica do assoalho pélvico e sua função na sustentação dos órgãos pélvicos, na manutenção da continência urinária e fecal, na função sexual e via de parto. Com maestria, explicou a interação intricada entre os músculos do assoalho pélvico, do períneo, pelve, tronco e quadril.


Disfunções e Indicações:

A palestrante adentrou nas nuances das disfunções do assoalho pélvico, destacando a incontinência urinária de esforço, a bexiga hiperativa, o prolapso de órgãos pélvicos, as dores pélvicas crônicas, dor miofascial do assoalho pélvico e dor na relação sexual. A Dra. Elizabeth habilmente elucidou os critérios para encaminhamento das pacientes para intervenção fisioterapêutica, ressaltando a importância da avaliação individualizada. O foco da fisioterapia é o diagnóstico e intervenção no componente músculo esquelético das disfunções.


Avaliação e Estratificação de Tratamento:

No cerne da apresentação, a Dra. Elizabeth discorreu sobre métodos de avaliação, incluindo a avaliação funcional dos músculos do assoalho pélvico, e discutiu a importância do diagnóstico diferencial para a seleção de abordagens terapêuticas precisas. Ela elucidou qual é o verdadeiro papel do biofeedback e da eletromiografia na avaliação objetiva das pacientes, ressaltando que nada substitui uma boa avaliação clínica, exame físico e avaliação funcional do assoalho pélvico realizados de forma competente,


Abordagens Terapêuticas Avançadas:

Dra. Elizabeth não poupou detalhes ao discutir as abordagens terapêuticas como eletroterapia, cinesioterapia, terapia manual e outros recursos. Ela delineou a prescrição de exercícios específicos visando o fortalecimento e coordenação dos músculos do assoalho pélvico, destacando sua eficácia na melhora da incontinência e do prolapso. Além disso, mencionou o uso das terapias manuais e outros recursos para tratar disfunções miofasciais.


Citações da Dra. Elizabeth:

  • "A compreensão das interações biomecânicas do assoalho pélvico é fundamental para uma intervenção eficaz."

  • "A terapia manual, quando aplicada com precisão, tem papel crucial na modulação da dor pélvica crônica."

  • "A melhora dos hábitos miccional e evacuatório são importantes no tratamento das disfunções do assoalho pélvico"

  • "A avaliação minuciosa é a base para a estratificação de tratamento personalizado nas disfunções do assoalho pélvico."

  • "A coordenação entre contração e relaxamento do assoalho pélvico e o fortalecimento progressivo destes músculos é uma chave para a restauração da função."


Considerações Finais:

A palestra da Profa. Dra. Elizabeth Alves Ferreira, disponível para ser revista on-line, proporcionou uma análise científica profunda e desmistificadora da fisioterapia nas disfunções do assoalho pélvico. Seu domínio do assunto e abordagem rigorosa ampliaram o entendimento dos profissionais presentes, favorecendo o trabalho em equipe, tão essencial para o tratamento correto das pacientes.


Comments


bottom of page